Blog

5 Dicas para Superar Momentos de Adversidade na sua Advocacia

5 Dicas para Superar Momentos de Adversidade na sua Advocacia

A crise econômica, a alta do dólar, a concorrência, as situações complexas envolvendo colaboradores, a dificuldade de conquistar clientes e outros tantos desafios, podem gerar instabilidade na sua advocacia.

Por conta de tudo isso, existe uma competência que é fundamental ser desenvolvida para que você tenha sucesso: resiliência.

Mas aqui vale dizer que ser resiliente não é desenvolver um escudo antibala de canhão. Ser resiliente é ser capaz de enfrentar e superar perturbações externas provocadas pelo meio sem perder o seu potencial de reorganização. A resiliência permite que você mantenha as competências e habilidades, mesmo diante dos desafios; e por exemplo, se está trabalhando num ambiente tóxico, ser resiliente não é permanecer nele, mas ser capaz promover as mudanças necessárias na sua carreira com firmeza de propósito e integridade pra se livrar desta situação.

A resiliência determina nosso grau de defesa ou vulnerabilidade às pressões externas, que sempre irão existir.

Apesar de não termos controle sobre inúmeros fatores, é possível desenvolver habilidades comportamentais que lhe sirvam de suporte para que a sua advocacia não seja afetada por eles. O profissional resiliente está constantemente atento ao mercado, buscando detectar os sinais de oportunidades frente a transformações ou adversidades. Ele é capaz de promover mudanças estratégicas e entrega o que promete, sem se fixar no lado ruim da situação.

Como qualquer competência, a resiliência pode ser desenvolvida com dedicação e foco. Para quem deseja agir de forma resiliente, seguem 5 dicas de como você pode superar Momentos de adversidade na sua advocacia:

1. Seja proativo:

Pessoas proativas influenciam positivamente o ambiente. Elas não se sentem vítimas das circunstancias e, quando surgem situações adversas, analisam o cenário e, então, agem. O oposto de um proatividade é a reatividade. Pessoas reativas pensam e atuam dentro de padrões de causa e efeito. Elas não analisam as situações como um todo, apenas reagem de forma imediata e impensada, o que, na maioria das vezes, causam prejuízos tanto nas relações pessoais quanto nas profissionais.

2. Controle suas emoções: 

Manter o controle emocional diante dos imprevistos e adversidades é fundamental para refazer as metas de forma assertiva, planejar diferentes cenários e tomar decisões racionais. Não permita que a instabilidade externa tire seu autocontrole. Além de não resolverem problemas, insegurança ou desespero em momentos de crise podem gerar conflitos pessoais e prejuízos aos negócios e a todos os envolvidos.

3. Mantenha o otimismo:

Uma pessoa resiliente não se abala por muito tempo com as adversidades, porque cultiva um estado otimista. Ela age de forma consciente, sempre acreditando que as dificuldades podem ser controladas, contornadas ou revertidas através de escolhas bem-feitas e estratégias assertivas.

4. Influencie positivamente: 

Ainda que você seja resiliente, certamente esta não será uma característica de todos os envolvidos na crise. Quem cultiva a resiliência sai muito na frente e deve  usar esta competência para alcançar e influenciar sua equipe.

5. Aja com Determinação: 

Para superar situações adversas é preciso muita persistência e empenho. Ser resiliente também significa não se abalar pelas pressões e agir com determinação e eficácia no planejamento e execução das ações propostas.