Blog

Controlando a Raiva na Advocacia

A raiva é uma reação humana natural que pode ser comparada ao estresse. Se usada de maneira correta, pode lhe proteger e lhe ajudar a reagir ao perigo. Mas quando é mal controlada pode trazer consequências prejudiciais para você mesmo e para aqueles ao seu redor.

Os clientes chegam para os advogados, em geral, com problemas, em estado de angustia, buscando soluções e sentirem-se protegidos. O mercado exige que o profissional do Direito pense de forma clara, mostre a sua competência e se comunique bem. Ficar com raiva a ponto de perder o controle, ficar ressentido ou irritado por um período mais prolongado – pode lhe impedir de atuar de maneira adequada.

A profissão jurídica não é fácil. O advogado tem que lidar com pessoas difíceis, sejam elas colegas da parte contrária, juízes, chefes ou até mesmo os clientes. O resultado que se buscar é ganhar ou perder, sem muito meio termo. 

A capacidade de ter sucesso como advogado está diretamente relacionada à habilidade de lidar com a raiva de maneira controlada. Um advogado que extrapola sua raiva constantemente via impaciência, irritabilidade e grosseria acaba gerando relações tóxicas ao seu redor. 

É importante perceber que esta reação geralmente advém de um sentimento de insegurança e, portanto, serve como um mecanismo de defesa. À primeira vista, pode parecer energizar e lhe fazer se sentir poderoso. Volto a ressaltar, que assim como um estresse, em uma dose apropriada, a raiva é até saudável. Contudo, quando descontrolada, pode causar estragos irreparáveis.

E como controlá-la?

Uma boa notícia é que o controle da raiva pode ser aprendido. Nenhum de nós nasceu sabendo lidar com a nossa raiva, mas você pode usar as seguintes dicas para gerenciar melhor este sentimento:

Conte até 10. Parece clichê, mas funciona. Isso permite que você reserve um momento para refletir antes de fazer algo que você não poderá retirar.

Respire fundo. A raiva faz parte da resposta de sobrevivência do nosso cérebro com os comandos de “fugir ou lutar” do perigo. Respirar ajuda a nos acalmar.

Aprenda a reconhecer o início da raiva. Essa é uma das estratégias mais importantes para você aprender a controlá-la. Você pode se observar para aprender os sinais de alerta em seu corpo. A partir daí, será mais fácil impedir uma explosão.

Observe sua raiva, quando ela começar, porque a tendência é ir aumentando. Raramente vamos do zero a uma explosão repentina. O ressentimento e a irritação tendem a se desenvolver ao longo do tempo, antes que algo nos empurre para além do nosso limite. O autoconhecimento é muito importante nesta situação.

Esteja atento à verdadeira fonte de qualquer raiva. A “transferência” de raiva é muito comum. Você fica chateado com o seu chefe e desconta em um colaborador júnior. Isso acontece sem querer. Assim como no ponto anterior se autoconhecer para se entender e de repente, buscar alguém para desabafar, lhe ajuda a evitar este tipo de situação. 

Lembre-se do seu dever como profissional. Como advogado, você deve deixar de lado a raiva para lidar com calma e profissionalmente com a situação em questão. Se você não puder cumprir essa obrigação, é importante procurar apoio imediatamente.

A raiva excessiva é um problema que pode prejudicar a sua carreira e as suas relações a longo prazo. Será que vale a pena arriscar? Se você tiver problemas para controlar sua raiva, busque ajuda. Não deixe que isso atrapalhe a sua vida.