Blog

Ser millennial não é idade. É atitude!

Como normalmente acontece, as coisas não são necessariamente o que parecem. Se conseguirmos nos livrar desse processo de rotulagem prejudicial e decidirmos olhar além do infográfico de mudança, podemos observar claramente que o millennial não é uma geração, mas uma atitude. Uma atitude que dá origem a uma série de comportamentos e hábitos colocados em prática por determinados profissionais. Comportamentos que não estão necessariamente correlacionados a um ano de nascimento.

E quais são estas atitudes?

  • As pessoas que conjugam os verbos colaborar e compartilhar. Desenvolvem relações baseadas no “win-win”.
  • São profissionais preocupados com sua melhoria contínua, por viver em beta. Pessoas que entendem que seu conhecimento hoje pode ser insuficiente amanhã para gerar o valor nos lugares em que trabalham.
  • São pessoas não-conformistas, disruptivas, rebeldes com uma causa:questionam o pré-estabelecido para melhorá-lo. Comprometidos com a necessidade de evoluir o quadro organizacional em que vivem, visando o crescimento.
  • São pessoas de mente aberta, que incorporam novas idéias, que sabem não estar de posse da verdade absoluta e abraçam a divergência.
  • Profissionais que precisam saber como está sendo avaliado o seu trabalho de forma consistente e imediata.
  • Pessoas em busca constante e novos desafios. Aqueles que a monotonia afasta.
  • Profissionais que realizam, que lançam ideias, que buscam alianças para realizá-las e que assumem o risco de serem estigmatizados, indo contra a corrente.
  • Pessoas que integram tecnologiapara saciar sua curiosidade, para acessar o conhecimento necessário, para crescer e gerar valor à sua organização.
  • E são pessoas que precisam de liberdade e de mobilidade (tecnológicas e mentais) para serem produtivas e eficientes.

 A maioria dos escritórios de advocacia e dos departamentos jurídicos estão imersos em um processo de constante mudança e transformação, que exige advogados versáteis com liberdade de ação, com uma mentalidade empreendedora para fazer projetos acontecerem. Pessoas criativas, proativas e disruptivas … comportamentos que transcendem um rótulo geracional.